Home » Comportamento

Comportamento humano e genética

Até que ponto a genética influencia no comportamento das pessoas? Está é uma questão extremamente discutida entre os cientistas.

Genética

O comportamento humano é resultado de uma série de elementos variáveis, que atuam de modo dependente para formar a complexa cadeia que constitui aquilo que tomamos, por exemplo, como a personalidade, que é talvez a maior influência sobre o comportamento humano.

Esses elementos que se manifestam de modo único e individual são os principais responsáveis pela imprevisibilidade humana. Dentre esses fatores comportamentais, que muitos estudiosos dividem como externos e internos, os fatores internos são possivelmente os mais fortes, e entre estes conta o fator genético como um dos principais pilares de formação da mente humana. Saiba mais sobre isso.

Comportamento humano e genética: anomalias

Menina com Síndrome de Down

De Mendel para os dias atuais, a genética se mostrou um dos elementos mais poderosos na formação do homem e ganhou um espaço cada vez mais importante nas ciências biológicas modernas. Isso porque o poder da palavra “hereditariedade” foi sendo, constantemente, mais e mais ressaltado, e deste modo tornou-se incontestável a influência dos traços hereditários em cada homem, nos traços de sua personalidade e de seu comportamento.

Ao mesmo tempo, deste modo, que a genética trata de perpetuar cada ser humano, ela também transmite as bases para a formação da próxima geração, legando, por sua vez, os pontos mais fortes da geração predecessora, mas também as anomalias mais diversas. Nesse sentido, a medicina moderna descobriu que por meio da genética muitos das principais doenças e anomalias psíquicas foram transmitidas para as próximas gerações, as quais recebem, mais que os traços físicos de seus progenitores, a propensão genética para a manifestação dessas anomalias.

O grau da anomalia pode variar, podendo ser desde um eco do problema original de um avô, por exemplo, como até mesmo uma evolução do quadro original. Uma certeza, todavia, é que mais de cinquenta por cento dos casos de doenças psíquicas têm sua origem no DNA.

Comportamento humano e genética: Bipolaridade

Bipolaridade

Uma das anomalias mais comuns derivadas da hereditariedade genética é o Transtorno Bipolar. Sendo uma das doenças mais comuns no campo psíquico, o Transtorno Bipolar atinge em torno de seis por cento da população mundial, existindo em muitos pacientes que desconhecem inclusive que possuem a doença.

Conhecida também como Transtorno Maníaco Depressivo, a doença se tornou muito conhecida, inclusive como expressão. E dessa parcela de casos, cerca de 55% vêm de origem hereditária, sendo que quase sempre descendentes diretos da pessoa com a doença vêm a desenvolve-la também.

Assim, a genética se encarrega de transmitir uma das doenças psíquicas mais violentas, que atua diretamente sobre o comportamento humano. Isso porque o paciente que desenvolve a doença tem como principal sintoma a alternância de estados comportamentais extremos, oscilando entre extremamente eufórico e extremamente depressivo. Nos estágios eufóricos da doença, apresenta um comportamento exaltado, marcado pela impulsividade, pelo ego gigantesco e disso o natural excesso de confiança, bem como a inconstância. Já em seu estado depressivo, seu comportamento é marcado pela melancolia inexplicável, e total desilusão com a vida, além de pensamentos autodestrutivos, que, em seu último estagio, podem culminar no suicídio.

No vídeo a seguir, saiba mais sobre a relação entre a genética e as atitudes humanas.

Publicado por Andre Moreira
Revisado em 21/09/2017

Compartilhar

Comentar com Facebook

Receba novidades

  • pedro

    30/01/17

    Se você descobrir que - nos 15 segundos que você gastou para ler isto - você saiu de um ponto no universo e foi para outro distante 3000 km e que nunca mais voltará àquele ponto, você acaba de descobrir que toda a força do exército americano se reduz à força de um estilingue de borracha cozida...:)
    responder

Comentar